13 de abr de 2015

Águas de Joinville, uma empresa despreparada

Mesmo conhecendo o histórico dos bairros mais pobres da cidade, que se acostumaram (infelizmente) a receber água uma vez por madrugada em suas caixas d'água, ou umas poucas vezes por semana, ou nem mesmo isso; não tem ainda um plano de emergência eficiente e eficaz.

Prefere um método caro, de baixa eficiência e o pior de tudo, PASSIVO. Mesmo sabendo de uma falha no fornecimento, fica esperando que os clientes solicitem o caminhão pipa, e este ao passar em uma rua, atende 4, 3, até mesmo 1 (UMA) única casa e vai embora, porque as demais não tem ordem de serviço, como se isso determinasse o direito à água.

Como eu disse, um sistema caro e passivo. Que custa além de mais dinheiro, também a satisfação do cliente, e dos funcionários que atendem no 0800. Homens e mulheres, podem até, serem comparados aos soldados de trincheira que aguentam o bombardeio da indignação do cliente.

Uma empresa de tal porte, que exige alta qualificação e uma prova de concurso dos seus funcionários, deveria ter de ante mão uma quantidade adequada de caminhões pipa e um plano logístico para atender PRÓ-ATIVAMENTE os locais que são afetados por falhas ocasionais (que já se tornaram frequentes) no fornecimento. Ainda mais quando um vazamento se torna difícil até mesmo de ser encontrado.

Imagine Águas de Joinville, a quantidade de elogios, o prestígio e a valorização da empresa se agisse pró-ativamente? Pense um pouquinho nisto. Ter um funcionamento, e gastos planejados, clientes e funcionários satisfeitos e felizes com oque recebem e com o que fazem.

Ao menos tem a coragem de anunciar no site as falhas de abastecimento.