31 de jan de 2012

Porque não tomar café?

A uns dias atrás em um encontro com parentes, tivemos uma rápida discussão sobre o fato de nós os Mórmons não tomarmos café, ou seja, de a Igreja não o permitir. Com exceção de minha esposa, sou o único membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias dentre eles.

O pessoal até entende o porque de não permitir o uso do cigarro, bebidas alcoólicas e demais drogas prejudiciais. Mas não entendem a questão do café. E a questão do chá preto nem entra na discussão, afinal nem abala tanto a nossa cultura.

Se não me falha a memória um dos questionamentos foi:

"Não acho certo haver regras, que interfiram neste tipo de escolha. É como proibir de comer pizza."
Outros foram:

"Qual o motivo? É algum componente ou substância do café?"
Antes de mais nada, precisamos melhorar nossa noção das regras e mandamentos com origem em Deus. De forma alguma devem ser entendidos como punição ou restrições. Devem ser entendidos como proteção e direção. Regras e mandamentos norteiam a ordem e o bom funcionamento de organismos, sociedades e de todo o universo em que estamos inseridos, desde antes da criação do planeta.

Se nos basearmos neste no tipo de questionamento descrito acima, vamos andar em círculos e dividiremos opiniões até o ponto de não saber mais qual o motivo da discussão. Argumentos científicos, lógica e motivos óbvios; não servem de nada se não estiverem acompanhados da experiência e sabedoria divinas. O entendimento dos homens é limitado, instável e muitas vezes sem uma base firme. Mesmo assim são úteis para nos trazer conhecimento, linha por linha, preceito sobre preceito; um pouco aqui e um pouco ali. Tudo dentro das capacidades e cultura em que cada um esta inserido.

Hoje nem mesmo eu entendo plenamente os motivos, sejam físicos, químicos ou fisiológicos, que sirvam de argumentação para apoiar a abstinência de café. Mas como a maioria de meus familiares, parentes, amigos e muitas pessoas no mundo; conheço os que hoje apoiam a abstinência de cigarro (tabaco), álcool e outras drogas. Argumentos estes desconhecidos por grande parte dos homens a mais ou menos uns 40 até 60 anos atrás. Não havia conhecimento dos malefícios do tabaco, se havia, não eram divulgados como hoje. A revelação sobre abster-se de ingerir ou fazer qualquer tipo de uso de certas substâncias, foi dada em 1833. Tente imaginar o conhecimento que as pessoas tinham a respeito deste assunto naquela época. Sim, foi bem difícil para as pessoas entenderem, assim como hoje é em relação ao café.

A falta deste conhecimento, poderia ser devido a baixa expectativa de vida destas épocas e de antes delas. Não viviam tempo suficiente para que fosse possível observar o mal que o tabaco, o álcool e demais substâncias fazem ao corpo. Não havia equipamento ou conhecimento adequado para auxiliar os estudos que hoje foram possíveis e nos trazem conhecimento do mal provocado por tais substâncias. Hoje o conhecimento científico a respeito dos efeitos do café no organismo humano, dividem opiniões. E quem sabe hoje, não temos uma expectativa de vida suficiente para observar o mal que o café pode fazer a longo prazo.

Porém todos os argumentos e provas científicas dentro do entendimento atual que existem hoje, a respeito dos malefícios do tabaco, álcool e demais drogas, não são suficientes para que um grande número de pessoas decida por não fazer uso destas substâncias. Muito pelo contrário, decidem por fazer uso delas.

O ponto chave para nós Mórmons, e não somente nós, nos abstermos de café; é a crença e a confiança que se tem nela.
Eu creio em Deus e que Ele chamou um profeta nestes últimos anos, e que continuará chamando sucessores para ele, Joseph Smith. Por meio deste profeta Deus me pediu para não tomar café. Eu decidi obedece-Lo neste ponto e confio que serei beneficiado assim como meus descendentes, e em algum momento entenderei plenamente o motivo, assim como entendemos hoje os motivos para abster-nos de tabaco, álcool e demais drogas. Por hora, basta obedecer. Mas se você ainda quer um motivo; que tal este?
"Eis que, em verdade, assim vos diz o Senhor: Devido a maldades e desígnios que existem (em 1833) e virão a existir no coração de homens conspiradores nos últimos dias, eu vos adverti e previno-vos, dando-vos esta palavra de sabedoria por revelação-" 
(Doutrina e Convênios 89:4)
"Maldades e desígnios no coração de homens conspiradores" Traficantes se encaixam?
A partir deste ponto, posso encher este artigo com citações da bíblia, demais escrituras e fatos históricos que apoiam a necessidade de Deus interferir neste tipo de decisão do homem. "Ou você pode perguntar diretamente para Deus, com uma simples oração. E se fizer isso com sinceridade e confiança, Ele certamente confirmará a verdade do que escrevo por meio do poder do Espírito Santo" (Morôni 10:3-5)

30 de jan de 2012

Jogadas bem pensadas.

Xadrez é pura atenção. Existem várias armadilhas e estratégias, mas o ponto chave mesmo é a atenção. Se você estiver prestando mais atenção do que o seu adversário, você vai ganhar a partida, não tem jeito.



20 de jan de 2012

Minhas primeiras partidas com tempo total de 5 minutos.

No site que gosto de acessar para jogar xadrez há vários tipo de salas de jogos. E estes dias resolvi experimentar uma das salas aonde o tempo total para o jogo é de apenas cinco minutos.

Das minhas 4 primeiras partidas desta forma, perdi a primeira, pedi revanche e venci. No geral um empate.

Depois as duas partidas seguintes obtive duas vitórias. Acho que comecei bem, e os adversários podem ter ficado com trauma de fazer o roque =D.

1ª e 2ª partidas

3ª partida


4ª partida


19 de jan de 2012

O poder de um simples representante da massa dominada.

Tudo bem que um peãozinho (representante da massa dominada) estava ameaçando duas peças fortes (representantes da minoria dominadora). O oponente tinha de escolher qual das duas ele iria salvar.

O mais interessante é que a jogada com o peão não foi a última. O adversário me havia feito desistir de eliminar uma das peças, bispo ou cavalo, mas pude retomar a oportunidade fazendo um roque.

Mas de a escolher entre duas peças fortes a desistir do jogo? Não era pra tanto!


Se alguém conseguir tirar uma lição analogia que fiz com o título e esta partida; os comentários estão liberados para isso!

De uns tapas no mais forte que o resto corre!

Sabem aquelas situações de briguinhas de escola? Junta uns 5 para dar surra em um. Ai esse um toma coragem, aplica um bom soco no estomago do mais alto e mais forte... e o resto corre de medo.

Acho que foi mais ou menos isso que aconteceu nesta partida. Mas pô, só levei um cavalinho (e foi por pura bobeira do oponente) e uma torre (essa sim, modéstia a parte, foi pura astúcia minha)

Bastou perder estas peças e o oponente desistiu. Eu acho que dava pra virar o jogo.

Segue print:


E tem que levar em consideração que eu não estava jogando contra nenhum zé ruéla. Ele tinha mais de 700 partidas jogadas e seu ranking era de uns 150. Quem joga no www.flyordie.com pode entender do que estou falando.

18 de jan de 2012

Como é agradável ensinar.

Principalmente quando se trata de uma pessoa aberta a aprender. Mesmo com quem sabe apenas um pouquinho a mais.

Por isso no print deste jogo (no fim do post), deixo o nick name da oponente aparecendo, porque ela é gente boa. E quando alguém é gente boa, merece que os outros saibam que o é.

Papo descontraído, oportunidade de ensinar o básico de algo e alguém que quer aprender. Disso pode nascer uma amizade.

Por isso segue este post para a Bia Cavalcantti.

Desculpe não ter feito o print em que te ensinei o xeque pastor. Força do hábito de tirar print da vitórias, (risos), porque para te ensinar, te fiz ganhar a partida com o xeque pastor.

Aproveitando este post, vou explicar uns termos que usei em nossa conversa durante as partidas.

"Só sei do roque, do garfo, do pastor e do giuoco piano."

Bom... o roque e o pastor você já sabe.

O garfo é uma jogada que normalmente se faz com o cavalo. O principio básico é atacar duas peças ao mesmo tempo, e isso me faz amar e odiar os cavalos. Colocando um cavalo protegido na casa C2, pode se fazer um xeque, o oponente é obrigado a mover o rei e depois disso mata-se a torre.

O exemplo desta imagem esta no lado oposto ao que explique,
mas serve para ilustrar.
E também foi o primeiro print que achei com uma joga dessas.

O giuoco piano é a abertura de jogo mais comum. Peão do Rei para a casa E4 e depois o Bispo do Rei para a casa C4. E dai prossegue conforme o que for preciso se defender ou puder atacar.


Explicados uns termos; segue o print das nossas partidas.


16 de jan de 2012

Efeito da caridade.

Quando temos caridade, estamos dispostos a servir e a ajudar mesmo quando isso é inconveniente e sem pensar em retribuição.


 (Silvia H. Allred, “A Caridade Nunca Falha”, A Liahona, novembro de 2011, p. 115.)


Fonte: http://lds.org/liahona/2012/01/october-conference-notebook?lang=por

4 de jan de 2012

Xeque mate distraído.

Tudo bem que eu também sou um enxadrista distraído, muito distraído. Mas o ataque contra a casa F7 (bom, neste sistema online é F2 mas tudo bem, a casa pode ser descrita com o peão do bispo do rei), é um ataque clássico, porque é a casa mais vulnerável do jogo.

Bom, esta ai, 7 lances e já era.