14 de dez de 2011

Quero? Devo? Posso?


Tem coisa que quero mais não devo.
Tem coisa que devo mais não posso.
Tem coisa que posso mais não quero.

Quando você tem paz de espírito?
Quando aquilo que você quer é o que pode e é o que deve.




Então se resume ao encaixe de seus desejos nas três perguntas?
Quero? Devo? Posso?

Ok, é fácil responder a 1° questão. Deve ser por isso que ela é a primeira. Toda prova começa com as questões mais fáceis. A primeira questão é respondida pelos seus desejos.

Mas quem e o que responde as duas outras questões? E deve existir uma padronização ou centralização da origem das respostas para estas duas outras questões?

Porque devo? Porque não posso?

Quem sabe se resumir em:
Minha liberdade termina aonde começa a do outro. E isso pode ser feito preservando a integridade. A sua e a de outros.

Não devo e não posso matar porque esse desejo atinge a liberdade e a integridade de outro.

Mas como os desejos e capacidades de cada um são completamente diferentes, apareceu alguém que resolveu padronizar tudo, acreditando que assim todos preservariam a integridade de todos por fazer todos pensarem e desejarem igualmente.

Um comentário:

Grato por comentar